O candidato mais produtivo não é o que estuda mais, mas sim o que estuda melhor
NÃO ESQUEÇA. FAÇA UM BLOGEUIRO FELIZ. COMENTE!!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

(MATEMÁTICA) EXERCÍCIO PARA OS CORREIOS

Para cada real gasto em importação de calçados, em 2006, as indústrias brasileiras de calçados exportam R$ 15,00. Se o valor total das exportações foi de R$ 180 milhões, qual foi em milhões de reais, o valor das importações.


a)12
b) 15
c) 18
d) 21
e) 27






SOLUÇÃO:



R$ 1,00 ----- R$ 15,00
x ----------- R$ 180 milhões

x = 180 milhões / 15
x = 12 milhões


Resposta Letra A.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

(MATEMÁTICA) EXERCÍCIO PARA OS CORREIOS

A trasmissão de energia sem uso de fios vem sendo pesquisada, mas ainda é preciso melhorar a eficiência da trasmissão. de cada 100 watts são enviados pela bobina emissora, apenas 55 watts são aproveitados. A razão entre as quantidades de energia perdida e aproveitada na transmissão sem fio pode ser representada pela fração:


a) 7/10
b) 9/11
c) 10/11
d) 7/20
e) 11/20







Solução:



100 - 55 = 45 watts perdidos.

A razão entre as quantidades perdida e aproveitada:

(45/55) / 5 = 9/11


Resposta Letra B.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Correios lançam novo concurso público

Os Correios publicaram nesta quinta-feira (3), no Diário Oficial da União, o extrato de um novo edital de concurso público, que substituirá a seleção anterior, aberta no final de 2009, para 6.565 vagas em todo o País, e que foi suspensa pela Justiça Federal em outubro. O documento não define o número total de vagas oferecidas, mas de acordo com informações da assessoria de imprensa da estatal, o novo concurso deverá abrir cerca de 10 mil oportunidades de nível médio nas diretorias regionais de todo o Brasil.

O destino e a quantidade de vagas, os procedimentos de inscrição e os programas das provas já estão à disposição dos interessados no novo edital de abertura do concurso, que foi disponibilizado na tarde desta quinta, no site dos Correios.

As inscrições estarão abertas de 10 a 21 de janeiro para os cargos de atendente comercial, carteiro e operador de triagem e transbordo. A taxa de inscrição será de R$ 30. O salário não é informado no extrato do edital. A validade do concurso será de um ano, podendo ser prorrogado por igual período, de acordo com as necessidades e conveniência da administração.

Para a seleção anterior, que foi questionada pelo Ministério Público Federal e está parada por conta de brigas na Justiça, se inscreveram, ao todo, 1.064.209 pessoas. É o concurso que teve mais candidatos este ano, superando inclusive o do IBGE, para 192 mil vagas de recenseador, que teve 1.051.582 inscrições. Os salários variavam de R$ 706,48 a R$ 3.108,37.

A prova, que estava marcada para 28 de novembro, foi adiada pelos Correios devido à decisão judicial concedida em caráter liminar pela 5ª Vara da Justiça Federal de Brasília, em outubro, que determinou a suspensão do processo de contratação da Fundação Cesgranrio, organizadora escolhida para aplicar as provas. No dia 24 de novembro, no entanto, a Justiça Federal em Brasília acatou o recurso dos Correios e manteve o contrato com a instituição.

Ao adiar a prova, a ECT informou que os candidatos que não quisessem mais fazer o exame poderiam pedir a devolução da taxa de inscrição, sem definir datas nem como seria feita.

Os Correios também publicaram ontem um edital chamando para uma audiência pública a ser realizada no dia 16 de dezembro, em Brasília, que deverá definir se as pessoas já inscritas poderão participar da nova seleção ou se as taxas serão devolvidas.

De acordo com o extrato de edital, quem não puder comparecer à audiência pode enviar pedidos de esclarecimentos e sugestões por e-mail ou fax, até 10 de dezembro, só por escrito, com identificação (nome, telefone, fax, e-mail, endereço). Pedidos devem ser endereçados ao presidente da Mesa Diretora e devem fazer referência ao número da audiência pública (que é 1/2010). Os pedidos devem ser enviados ao e-mail moacirmartins@correios.com.br ou ao fax 61-3426-2859.





FONTE: JC OLINE

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

UPE aguarda recursos de R$ 80 milhões para ampliação

A Universidade de Pernambuco (UPE) poderá receber R$ 80 milhões em 2011 para expansão de campi e criação de novos cursos. Os recursos foram apresentados como emenda parlamentar pelos deputados federais Ana Arrraes (PSB), Armando Monteiro (PTB) e Inocêncio Oliveira (PR). Para que os recursos sejam liberados, a emenda ainda precisa ser aprovada pela Comissão do Orçamento da Câmara e, em seguida, ser votada em plenária. O Orçamento Geral da União (OGU) será votado até o final do ano. A verba só deve ser liberada, através do Ministério da Educação (MEC), em 2011.

Os recursos serão aplicados criação e expansão de campi no interior do estado e na Região Metropolitana do Recife. De acordo com o reitor Carlos Calado, a verba será destinada para a construção dos campi de Serra Talhada e Palmares, ampliação dos cursos oferecidos em Nazaré da Mata e melhoria dos campi do Recife e Camaragibe, na Região Metropolitana. "Esses recursos vão garantir a execução do projeto de interiorização da Universidade", disse o reitor.

Em Serra Talhada, será iniciado o curso de medicina. A previsão é que as aulas comecem ainda em 2011. Caso ocorra, a UPE fará um novo vestibular para a seleção de alunos. Em Palmares, o novo campus terá os cursos de enfermagem e sistemas de informação. Já em Nazaré da Mata, serão criados os cursos de farmácia, biotecnologia e hematologia. "Nosso objetivo é formar profissionais que possam atuar no polo farmacoquímico de Goiana", explicou Calado.

Ainda segundo o reitor, os recursos serão suficientes, ainda, para a melhoria de instalações físicas dos campi da RMR. "Iremos melhorar as bibliotecas, laboratórios, salas de aulas e conectividade. Esses são elementos que hoje influenciam diretamente a qualidade do curso", disse.

Após a expansão e criação de novos cursos, a UPE também deverá criar cursos de pós-graduações no interior. "Já temos demandas em Garanhuns, onde oferecemos a graduação em psicologia, na área de saúde em Patrolina e educação em Nazaré da Mata. Além de qualificar os profissionais, podemos formar professores para a instituição, através de um mestrado", completou Carlos Calado.



FONTE: Do JC Online

sábado, 27 de novembro de 2010

PF vai investigar possível novo vazamento do Enem ocorrido no Nordeste

A Polícia Federal (PF) admitiu nesta sexta-feira (26) que vai abrir investigação sobre uma suposta nova fraude no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ocorrida no Nordeste. Um aluno de um cursinho pré-vestibular em Petrolina, em Pernambuco, teria tido acesso às provas um dia antes delas serem aplicadas e oferecido o gabarito a amigos.

"Isso só vem reforçar nosso pedido de anulação do concurso. Inclusive antes mesmo dele ser realizado pedi a Justiça Federal que o exame não acontecesse, pois não havia nenhuma segurança para evitar a fraude como aconteceu. Mas a juíza negou nosso pedido, alegando que o cancelamento causaria uma comoção nacional", disse o procurador da República no Ceará, Oscar Costa Filho.

Ele ainda aguarda o relatório da PF que comprova o vazamento do tema da prova de redação a partir dos professores Eduardo Ferreira Affonso e Marenilde Brito Affonso, de Remanso (BA). "Pedi este relatório há três dias e ainda não recebi. Só posso entrar com mais provas junto ao processo que requer a anulação do Enem com este relatório para reforçar o pedido de total anulação do exame."

Costa Filho revelou que vai se encontrar com o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante Júnior, na próxima semana, em Fortaleza, e espera que a entidade se manifeste a favor da anulação. Corre na Justiça Federal do Ceará processo pedindo a anulação do Enem desde 8 de novembro. O procurador autor da ação diz que o Exame foi fraudado e "está eivado de erros".

Ele destaca que caberá à juíza da 7ª Vara Federal do Ceará, Karla de Almeida Miranda Maia, a decisão. O Ministério da Educação (MEC) tem prazo de 60 dias para se defender. Possivelmente antes da aplicação da nova prova para os alunos prejudicados, em 15 de dezembro, a juíza termine de julgar o processo.




FONTE: AGÊNCIA BRASIL

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

(INFORMÁTICA) EXERCÍCIO PARA OS CORREIOS

Qual a tecla de atalho para efetuar quebra de página no Word 2003?


a) CTRL + Q
b) CTRL + P
c) SHIFT + ENTER
d) CTRL + ENTER
e) ALT + Q





SOLUÇÃO:



As alternativas A, C e E, nada acontece. Já a alternativa B, serve para imprimir.


Resposta Letra D.

Tema da redação do Enem vazou, diz PF

A Polícia Federal informou nesta terça-feira (23) que houve vazamento do tema de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizado no dia 7 de novembro. Após investigações em Juazeiro (BA), a PF concluiu que uma professora de Remanso (BA), que aplicou a prova no Colégio Ruy Barbosa, na mesma cidade, teve acesso ao texto que baseou a prova de redação. Ela abriu um caderno de questões destinado a deficientes visuais duas horas antes do início das provas.

Em depoimento, segundo a PF, a professora afirmou que, após folhear rapidamente o caderno, telefonou da escola para a casa de sua sogra e falou com o marido, repassando-lhe o tema que havia visto: “O Trabalho e Escravidão”. Era o título de um texto motivador da redação. O tema era “O Trabalho na Construção da Dignidade Humana”.

A investigação da PF diz que, após receber a informação, o marido da professora pesquisou sobre o tema na internet e ligou para o filho, em Petrolina (PE), contando sobre o vazamento, mas sem especificar a fonte da informação. O estudante, por sua vez, consultou seus professores de redação a respeito de como escrever sobre o assunto.

A denúncia foi feita à polícia por um desses professores. A PF disse que os envolvidos confessaram e foram indiciados por violação de sigilo funcional, cuja pena pode chegar a 6 anos de reclusão. O inquérito foi encaminhado à Justiça Federal em Juazeiro. No ano passado, o vazamento da prova do Enem causou o cancelamento do exame.



FONTE: Agência Estado

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

(PORTUGUÊS) CFO-AL,2009

TEXTO 1


Toda língua natural (aquela que uma criança aprende
ouvindo os adultos falarem) apresenta variações, isto é,
uma diversidade de usos a que correspondem uma
diversidade de modos de expressão e uma diversidade de
características gramaticais e de vocabulário: há diferença e
oscilação de usos na pronúncia (por exemplo, ‘mulher’,
‘mulé’, ‘muié’), no gênero dos nomes (‘o/a personagem’,
‘duzentos/duzentas gramas de manteiga’), na expressão
da intensidade (‘roupa limpíssima/roupa bem limpinha’),
nas construções (‘ele vai chegar/ele chegará’, ‘não sei/não
sei não/sei não’) etc. Diferenças como essas são normais
em qualquer língua natural.
A primeira lição que podemos extrair desse fato é que se
essas diferenças existem é porque são funcionais, servem
de meio de expressão e entendimento entre seus usuários.
Compreender a diferença, ser capaz de analisá-la e saber
lidar com ela nas relações interpessoais é um grande
passo para uma bem-sucedida política de ensino da leitura
e da produção escrita na língua materna. Afinal, a língua
existe para que seus usuários se expressem e se
compreendam, participando, como cidadãos dotados de
direitos e deveres, da vida social em sua plenitude,
entendendo o mundo à sua volta e fazendo-se entender
pelos outros, desfrutando dos bens culturais e realizando
seus projetos de vida.
Uma pedagogia da língua baseada na depreciação
lingüística e sociocultural do aprendiz gera insegurança,
amesquinha a auto-estima e só produz silêncio. Este é um
discurso corrente em textos contemporâneos sobre
educação em geral, e não apenas na reflexão sobre o
ensino de língua materna. A língua, no entanto, é objeto
privilegiado nessas discussões porque é o meio coletivo
básico e, por assim dizer, universal de expressão.

(AZEREDO, J. C. In : Pauliukonis, M.A.L. e Gavazzi, S. (Orgs.).
Da língua ao discurso. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005, p.31.




A análise de aspectos discursivos do Texto 1 nos permite afirmar que:


1) ao dizer que “a primeira lição que podemos extrair desse fato é que se essas diferenças
existem é porque são funcionais”, o autor utiliza o discurso indireto, marcado pela presença da
primeira pessoa do plural.

2) no trecho: “Toda língua natural (aquela que uma criança aprende ouvindo os adultos falarem)
apresenta variações”, o segmento entre parênteses funciona como uma explicação, o
que demonstra o cuidado que tem o autor para que seu interlocutor compreenda suas idéias.

3) o recurso lingüístico de alternar e intercalar vários tipos de discurso, ao longo do Texto 1,
permite que o leitor reconheça, nele, diversas vozes, de locutores distintos.

4) no primeiro parágrafo, após apresentar como exemplos formas e expressões não aceitas pela
norma padrão, o autor conclui que essas diferenças são normais, o que revela sua falta
de preconceito em relação às variedades lingüísticas.




Estão corretas:

a) 1 e 3, apenas
b) 2 e 4, apenas
c) 1 e 4, apenas
d) 2 e 3, apenas
e) 1, 2, 3 e 4






SOLUÇÃO:



a proposição 1 está incorreta, porque o autor não utiliza o discurso indireto, nem esse discurso é
marcado pela presença da 1ª pessoa do plural.
a proposição 2 está correta porque, no trecho dado, de fato, o segmento parentético funciona como uma explicação, o que demonstra o cuidado que tem o autor para que seu interlocutor compreenda suas idéias.
a proposição 3 está incorreta, pois o autor não utiliza o recurso de alternar e intercalar vários tipos de discurso, ao longo do texto.
a proposição 4 está correta, pois, após trazer exemplos de formas e expressões não aceitas pela
norma padrão, o autor conclui que essas diferenças são normais, o que revela sua falta de preconceito em relação às variedades lingüísticas.
Assim, estão corretas apenas as proposições 2 e 4.


Resposta Letra B.

DPU/PE abre seleção para estágio de nível médio

A Defensoria Pública da União em Pernambuco (DPU/PE) está com as inscrições abertas, até o dia 30 de novembro, para o II Processo Seletivo Simplificado de Nível Médio. São oito vagas de estágio que serão preenchidas por estudantes matriculados no 1° ou 2° ano do ensino médio regular.

Os documentos necessários para a inscrição são RG, CPF, comprovante de vínculo com a instituição de ensino, histórico escolar ou boletim com notas e o curriculum vitae. O valor da bolsa auxílio é de R$ 203 para uma jornada de quatro horas diárias, de segunda a sexta-feira, no período da manhã ou da tarde, conforme horário de estudo do estagiário.

As inscrições estão sendo efetuadas das 9h às 13h na sede da DPU/PE, localizada na Avenida Dantas Barreto n° 1.090, Ed. São Miguel, 3° andar - sala 04, bairro de São José, Recife. Outras informações pelo telefone (81) 31941211.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Hemobrás convoca todos os perfis previstos no edital do concurso de 2008

A Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás) atingiu a convocação de todos os 26 perfis profissionais previstos no concurso realizado em 2008, com a publicação no Diario Oficial da União (DOU) de dois editais este mês, totalizando 15 chamamentos só em novembro. Os candidatos deverão se apresentar no próximo dia 22, na unidade operacional da empresa no Recife, no JCPM Trade Center, bairro do Pina, em horários específicos e munidos de todos os documentos necessários, que podem ser conferidos na seção de Gestão de Pessoas do site da Hemobrás.

A Hemobrás segue a ordem de classificação para cada emprego. Desta forma, no edital n° 25, foram convocados dois profissionais de nível superior, ambos de Brasília, para os empregos de analista de gestão corporativa, sendo um administrador de redes e o outro, relações públicas.

Já no edital n° 24, o chamamento é para preencher os seguintes empregos públicos: quatro analistas de gestão corporativa, sendo dois administradores e dois contadores; quatro especialistas em produção de hemoderivados e biotecnologia – controle de qualidade; e cinco assistentes administrativos – auxiliar administrativo. Estes candidatos são de Pernambuco, Brasília e Paraná. Além de todos os citados acima, outros 130 aprovados já foram chamados pela empresa.

A Hemobrás reforça que os prazos, horários e datas publicados nos editais n°24 e n° 25 devem ser cumpridos. O não comparecimento do candidato em local, dia e horário marcados poderá ser considerado como desistência voluntária para a sua contratação, gerando à empresa, de imediato, o direito de convocar o próximo candidato classificado.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Estudantes de 19 cursos superiores farão a prova do Enade no domingo


Estudantes de 14 cursos de bacharelado e de cinco cursos superiores de tecnologia participarão no domingo (21), do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). Considerado componente curricular, o exame é obrigatório para os alunos ingressantes e concluintes dos cursos a serem avaliados. Além deles, devem fazer a prova aqueles que faltaram a edições anteriores e ainda não regularizaram a situação. A prova será aplicada às 12h no Recife (13h no horário de Brasília) .
Participarão da prova de domingo os estudantes matriculados no primeiro e no último ano dos cursos de bacharelado em agronomia, biomedicina, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, medicina, medicina veterinária, nutrição, odontologia, serviço social, terapia ocupacional e zootecnia. Na mesma situação, os alunos dos cursos superiores de tecnologia em agroindústria, agronegócio, gestão ambiental, gestão hospitalar e radiologia.
Os participantes receberam, pelos Correios, o Cartão de Informação, enviado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação responsável pelo exame. Quem não o recebeu deve consultar o local de prova na página eletrônica do instituto ou na coordenação do curso.
A falta do Cartão de Informação, no entanto, não impedirá o acesso do estudante ao local de prova. Ele pode fazer o exame com a apresentação de documento oficial de identificação.


Fonte: Inep

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

(INFORMÁTICA) EXERCÍCIO PARA OS CORREIOS

Em qual menu está o comando MALA DIRETA no Word 2003.


a) Arquivo
b) Inserir
c) Editar
d) Formatar
e) ferramentas






SOLUÇÃO:



A mala direta é o recurso do Word que permite a composição de cartas modelo, etiquetas, envelopes ou e-mails para diversos destinatários.


Resposta Letra E.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

(PORTUGUÊS) CFO-AL, 2010

TEXTO 1




A língua, em sua infinitude, em sua heterogeneidade e em
seu constante processo de mudança, é, no fundo,
incontornável. Isto é, não dispomos de meios para cercá-la,
para riscar um traço a seu redor, para desenhar uma linha
que a contenha.
Claro, a nossa cultura linguística tradicional tem enormes
dificuldades para conviver com essas características da
língua. Diante do infinito, do heterogêneo e do sempre
mutante, muitas pessoas clamam por regras categóricas.
Surgem, então, aqueles que se arrogam o direito de ditar
tais regras. Como não há um papa ou um supremo tribunal
federal linguístico, alguns se acham no direito de assumir o
papel de autoridade: inventam regras e proibições,
condenam usos normais e ficam execrando e humilhando
os falantes. E, pior, nunca admitem contestação.
Infelizmente, esse autoritarismo gramatical, essas atitudes
autocráticas têm grande prestígio na nossa sociedade, em
especial entre alguns dos nossos intelectuais. No entanto,
um dos efeitos desse autoritarismo linguístico tem sido
justamente bloquear o amplo acesso social a um bom
domínio da língua. Inibe e constrange. De um lado, porque
instaura uma insegurança nos falantes. De outro, porque se
aproxima dos fatos da língua sempre de modo fragmentário
(arrolam picuinhas sobre picuinhas – alguns chegam até a
ultrapassar a casa do milhar), sem nunca oferecer uma
perspectiva de conjunto da nossa realidade linguística, em
particular da norma culta/comum/standard.
Se não dispomos de uma autoridade suprema em matéria
de língua, como podemos dirimir dúvidas ou arbitrar
polêmicas? Não temos alternativa, a não ser observar
criteriosa e sistematicamente os usos. No caso da norma
culta/comum/standard, os bons dicionários e as boas
gramáticas devem registrar e consolidar os usos
observados. Não cabe a eles criar regras, mas –
observando os usos – cabe a eles descrever e consolidar
os fatos dessa norma.

FARACO, Carlos Alberto. Norma culta brasileira. Desatando alguns
nós. São Paulo: Parábola, 2008, p.104-105. Adaptado.





A análise de aspectos linguísticos presentes no Texto 1 nos leva a concluir que:

1) Logo no primeiro parágrafo, identificam-se palavras formadas pelo prefixo in-, com sentido
de ‘inclusão’: ‘infinitude’ e ‘incontornável’.
2) No trecho: “arrolam picuinhas sobre picuinhas”, a preposição contribui para expressar a idéia de quantidade: “arrolam picuinhas e mais picuinhas”.
3) No trecho: “Surgem, então, aqueles que se arrogam o direito de ditar tais regras.”, a próclise
é opcional; a opção pela ênclise seria igualmente aceita pela norma padrão da língua.
4) No trecho: “Não cabe a eles criar regras, mas – observando os usos – cabe a eles descrever e
consolidar os fatos dessa norma.”, o uso dos travessões tem o efeito de enfatizar o trecho
‘observando os usos’, garantindo-lhe saliência informativa.

Estão corretas:

a) 1 e 3, apenas.
b) 1 e 4, apenas.
c) 2 e 4, apenas.
d) 2 e 3, apenas.
e) 1, 2, 3 e 4.







SOLUÇÃO:




A proposição 1 está incorreta, pois as palavras ‘infinitude’ e ‘incontornável’’ não são formadas por
prefixo que tem valor de ‘inclusão’;
A proposição 2 está correta, porque, realmente, no trecho dado, a preposição contribui para expressar a idéia de quantidade;
A proposição 3 está incorreta, pois, no trecho dado, apesar de a próclise ser exigida pelas regras de colocação pronominal, a ênclise não seria aceita pela norma padrão da língua;
A proposição 4 está correta, pois, no trecho dado, de fato, os travessões têm o efeito de enfatizar o trecho ‘observando os usos’, garantindo-lhe saliência informativa.

Resposta Letra C.

domingo, 14 de novembro de 2010

(INFORMÁTICA) EXERCÍCIO PARA OS CORREIOS

Estando em um documento editado no Microsoft Word, versão em língua portuguesa, para exibir a caixa de diálogo imprimir é suficiente para o usuário difitar a tecla de atalho:


a) SHIFT + P
b) SHIFT + ALT + P
c) CTRL + SHIFT + P
d) CTRL + P
e) ALT + P




SOLUÇÃO:




a) SHIFT + P -> a letra p fica maiuscula.
b) SHIFT + ALT + P -> aparece o número 1.
c) CTRL + SHIFT + P -> altera a font da letra.
e) ALT + P -> abre a pagina de desenho.


Resposta Letra D.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

(MATEMÁTICA) CFO-AL

Uma herança de R$ 165.000,00 deve ser dividida entre três herdeiros: Álvaro, Beatriz e Carmem. O valor que caberá a Beatriz corresponde à metade da soma do que receberão Álvaro e Carmem. Além disso, a diferença entre o que receberá Carmem e o que receberá Álvaro é de R$ 20.000,00. Quanto receberá Carmem?


a) R$ 50.000,00
b) R$ 55.000,00
c) R$ 60.000,00
d) R$ 65.000,00
e) R$ 70.000,00






SOLUÇÃO:



Sejam a, b e c as quantias, em milhares de reais, que caberão respectivamente a Álvaro, Beatriz e Carmem. Temos a + b + c = 165, b = (a + c)/2 e c – a = 20. Segue que 2b + b = 165 e b = 55. Substituindo o valor de b nas outras equações, obtemos a + c = 110 e c – a = 20. Portanto 2c = 130, c= 65 e a = 45.


Resposta Letra D.

Covest matém datas da 2ª fase após decisão do TRF de não anular o Enem

A presidente da Covest, Lícia Maia, confirmou que a data do vestibular da segunda etapa para os feras que pretendem ingressar na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) está mantida para os dias 5 e 6 dezembro. Nessa quinta-feira (11), o MEC sinalizou que data para a reaplicação das provas dos alunos que pegaram o caderno amarelo no primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e que se sentiram prejudicados. As datas, portanto, chocam.

"Vamos aguardar um posicionamento oficial do MEC. Por enquanto, as datas da segunda fase estão mantidas. É possível que o ministério converse com as universidades sobre isso", disse Lícia Maia.

TRF derruba liminar que suspendeu o Enem 2010

O Tribunal Regional Federal (TRF) da 5ª Região, sediado no Recife, derrubou a liminar que suspendeu o Enem 2010 (Exame Nacional do Ensino Médio). A decisão foi tomada pelo desembargador Luiz Alberto Gurgel de Farias, presidente do TRF da 5ª Região, sediado na capital pernambucana. O ministro da Educação, Fernando Haddad, reúne-se logo mais com o desembargador. Uma coletiva de imprensa está prevista para as 10h.

O Ministério da Educação decidiu atacar em duas frentes. A liminar que suspendeu o Enem foi concedida pela juíza federal Karla Maia, da 7ª Vara Federal no Ceará. Ontem, foram apresentados recursos à própria juíza e também ao Tribunal Regional Federal (TRF) da 5ª Região.

Na decisão, o presidente do TRF5 ressaltou que "a suspensão de um certame envolvendo mais de 3 milhões de estudantes traria transtornos de monta aos organizadores e candidatos de todo o Brasil e que a alteração do cronograma do Enem repercutiria na realização dos vestibulares promovidos pelas instituições de ensino superior, porquanto diversas dessas entidades utilizarão as notas do ENEM, fatos que possibilitariam a ocorrência de grave lesão à ordem administrativa."

O desembargados destacou, ainda, a possibilidade de um elevadíssimo prejuízo ao erário, da ordem de R$ 180 milhões, decorrente da contratação da logística necessária à realização de um novo exame.

O Ministério da Educação (MEC) pretende realizar a nova prova do Enem nos dias 4 e 5 de dezembro, para os alunos que receberam a prova com erro de impressão e não conseguiram trocá-la de imediato. Em Pernambuco, a data coincide com a segunda fase do Vestibular da Universidade de Pernambuco (UFPE).




FONTE: JC OLINE

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

PF diz que não há indícios de vazamento no Enem e que, por enquanto, não vai abrir inquérito

A Polícia Federal informou que, por enquanto, não vai abrir inquérito policial para apurar o suposto vazamento do tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em Juazeiro (BA). De acordo com o órgão, não existem, até o momento, informações suficientes para fundamentar a investigação.
Ontem (9), o delegado responsável pelo caso em Juazeiro, Alexandre Lucena, disse que a Polícia Federal no município investigava o vazamento e que o inquérito oficial seria aberto hoje (10). Lucena chegou a afirmar que os relatos colhidos apontavam que um grupo de pelo menos 30 estudantes teve acesso ao tema antes da prova e que temia que o alcance do vazamento pudesse ser maior.
A história foi denunciada por um professor de um curso preparatório de Petrolina (PE), cidade vizinha a Juazeiro, a uma emissora de TV da região. Segundo ele, um grupo de estudantes o procurou horas antes do início das provas contando que sabiam qual era o tema da redação.
O Ministério da Educação (MEC) esclareceu que as provas da região do Sertão de São Francisco ficaram sob a guarda do 72º Batalhão de Infantaria Motorizada do Exército e só foram distribuídas na manhã do último sábado (7) e domingo (8), datas da realização do Enem.
“Não haveria possibilidade de estudantes terem acesso ao tema da redação na noite de sábado ou na manhã de domingo, porque o pacote de provas estava lacrado e foi aberto na presença dos estudantes”, afirmou o MEC, por meio de nota.



FONTE: AGÊNCIA BRASIL

(PORTUGUÊS) CFO-AL

Os puristas e a mentira do “vale-tudo”


Atenção! Cuidado! Alerta! Não acredite nos puristas que
andam declarando nos meios de comunicação que os
linguistas são defensores do “vale-tudo” na língua. Esse é
mais um dos muitos argumentos falaciosos que eles
utilizam para desqualificar os resultados das pesquisas
científicas e as propostas de renovação da pedagogia de
língua inspiradas em critérios mais racionais e menos
dogmáticos, e em posturas políticas menos intolerantes e
mais democráticas.
É claro que, numa perspectiva exclusivamente linguística,
de análise da língua em seu funcionamento interno, tudo
tem o seu valor. Afinal, como nada na língua é por acaso,
então toda e qualquer manifestação linguística está sujeita
a regras e tem sua lógica interna: não há razão para
atribuir maior ou menor valor à forma linguística A ou à
forma linguística B. Seria algo tão inaceitável quanto um
zoólogo achar que as borboletas têm maior valor que as
joaninhas e que, por isso, as joaninhas devem ser
eliminadas... Para o cientista da linguagem, toda
manifestação linguística é um fenômeno que merece ser
estudado, é um objeto digno de pesquisa e teorização, e
se uma forma nova aparece na língua, é preciso buscar as
razões dessa inovação, compreendê-la e explicá-la
cientificamente, em vez de deplorá-la e condenar seu
emprego.
Mas o linguista consciente também sabe que a língua está
sujeita a avaliações sociais, culturais, ideológicas, e que
precisa também ser estudada numa perspectiva
sociológica, antropológica, política etc. Nessa perspectiva,
existem formas linguísticas que gozam de maior prestígio
na sociedade, enquanto outras – infelizmente – são alvo
de estigma, discriminação e até de ridicularização. As
mesmas desigualdades, injustiças e exclusões que
ocorrem em outras esferas sociais – no que diz respeito,
por exemplo, ao sexo da pessoa, à cor da pele, à
orientação sexual, à religião, à classe social, à origem
geográfica etc. – também exercem seu peso sobre a língua
ou, mais precisamente, sobre modos particulares de falar a
língua.


BAGNO, Marcos. Não é errado falar assim! - São Paulo: Parábola,
2009, p.35-36.





O Texto recomenda que tenhamos cuidado com os “puristas”. Na Literatura, também é possível identificar uma visão mais, ou menos, purista da linguagem. A esse respeito, assinale a alternativa correta.


A) A produção poética da 1ª geração romântica apresenta forte preocupação purista, do que
decorre uma tentativa de fazer renascer a língua portuguesa segundo os padrões lusitanos, com
forte rejeição às formas linguísticas nacionais.
B) O Arcadismo se destaca como um dos movimentos literários de maior rigor purista, que
se revela na preferência por uma linguagem rebuscada, vocabulário erudito, de difícil acesso
e frases na ordem inversa.
C) Os autores barrocos revelam uma visão purista da linguagem ao privilegiarem o cultismo, que se caracteriza pelo rebuscamento formal, manifestado no jogo de palavras e no excessivo
emprego de figuras de linguagem.
D) A produção literária da 2ª geração romântica, opondo-se à 1ª, adota uma visão nada purista,
revelada na extrema simplicidade da linguagem, que rejeitava formas lusitanas para expressar,
nos textos, a grande alegria de ser brasileiro.
E) A 3ª geração romântica, antecipando a visão pouco purista do Realismo, que viria em seguida, prefere uma linguagem despojada, direta e até chula, que consiga retratar com objetividade a realidade brasileira.






SOLUÇÃO:




A alternativa A está incorreta, porque não é verdadeiro afirmar que a produção poética da 1ª
geração romântica apresenta forte preocupação purista, do que decorre uma tentativa de fazer
renascer a língua portuguesa segundo os padrões lusitanos, com forte rejeição às formas linguísticas nacionais.
A alternativa B está incorreta, pois o Arcadismo não se destaca como um dos movimentos literários de maior rigor purista, que se revela na preferência por uma linguagem rebuscada, vocabulário erudito, de difícil acesso e frases na ordem inversa.
A alternativa C está correta, pois, realmente, os autores barrocos revelam uma visão purista da
linguagem ao privilegiarem o cultismo, que se caracteriza pelo rebuscamento formal, manifestado no jogo de palavras e no excessivo emprego de figuras
de linguagem.
A alternativa D está incorreta, já que a informação dada não corresponde às características da produção literária da 2ª geração romântica.
A alternativa E está incorreta, pois o que se afirma acerca da 3ª geração romântica não corresponde à verdade.


Resposta Letra C.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

(INFORMÁTICA) EXERCÍCIO PARA OS CORREIOS

Com o cursosr do mouse posicionado em uma área livre do lado direito da janela do Windows Explore, dentro de uma pasta específica, é suficianete para se vriar uma subpasta nova clicando no botão:



a) direito do mouse e selecionando Subpasta e depois Nova.
b) direito do mouse e selecionando Novo e depois Pasta.
c) esquerdo do mouse e selecionando Novo e depois Subpasta.
d) esquerdo do mouse e selecionando Pasta e depois Nova.
e) esquerdo do mouse e selecionando NOvo e depois Pasta.





SOLUÇÃO:




Vamos pelo método de leiminação:

a) não existe o comoando Subpasta.
c) clicando com o esquerdo nada aparece.
d) mesma resposta da letra C.
e) mesma resposta da letra C.


Resposta Letra B.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

(RACIOCÍNIO LÓGICO) ECXERCÍCIO PARA O TRT






CALCULE:






a) 10
b) 11
c) 12
d) 13
e) 14








SOLUÇÃO:








Resposta Letra B.

(PORTUGUÊS) CFO-AL 2009

O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, que entrará em vigor a partir de janeiro de 2009, prevê, dentre outras, as seguintes alterações ortográficas:

1) “O trema, sinal de diérese, é inteiramente suprimido em palavras portuguesas ou aportuguesadas.”
2) “Não se acentuam graficamente os ditongos representados por ei e oi da sílaba tônica das
palavras paroxítonas.”

Assinale a alternativa que apresenta o par de palavras que, de acordo com essas duas novas
regras, respectivamente, terão sua grafia alterada.


a) eqüino e cafeína
b) contígüo e chapéu
c) distingüir e assembléia
d) lingüiça e idéia
e) lângüido e constrói







SOLUÇÃO:



a alternativa A está incorreta: de fato, a palavra “eqüino” não mais será grafada com trema; porém a grafia de “cafeína” não sofrerá alteração, porque não é um caso de ditongo ei;
a alternativa B está incorreta: “contíguo” não terá sua grafia alterada, porque não é grafada com trema; a grafia de “chapéu” não sofrerá alteração porque o
ditongo na última sílaba é éu;
a alternativa C está incorreta: “distinguir” não terá sua grafia alterada, porque não é grafada com trema; no entanto, a palavra “assembléia” será grafada sem o acento;
a alternativa D está correta: o trema de “lingüiça” não mais será marcado e a palavra “idéia” não mais teráacento gráfico;
a alternativa E está incorreta: “lânguido” não terá sua grafia alterada, porque não é grafada com trema; a palavra “constrói”, por sua vez, perderá o acento gráfico.


Resposta Letra D.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

(FÍSICA) CFO-AL 2009

Duas partículas, A e B, inicialmente na mesma posição, movem-se em sentidos opostos ao longo da mesma circunferência. Suas velocidades angulares constantes têm módulos ωA = 10π rad/s e ωB = 8π rad/s. Quando o encontro se der novamente, a partícula A terá realizado um deslocamento angular de:


a) 120º
b) 180º
c) 200º
d) 270º
e) 275º





SOLUÇÃO:



Quando o encontro se der novamente, a soma dos módulos dos deslocamentos angulares será de 2π rad ou 360º. Como ambos os movimentos são circulares uniformes, isso implica em ωAt + ωBt = 2π, ou o tempo até o encontro igual a t = 1/9 s. Assim, o deslocamento angular de A
será ωAt = 10π/9 rad = 200º.



Resposta Letra C.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

(INFORMÁTICA) EXERCÍCIO PARA OS CORREIOS

Para apagar um arquivo sem que o mesmo seja armazenado na Lixeira do Windows XP deve-se selecionar o arquivo:


a) pressionar a tecla CTRL, teclar Delete e confirmar
b) pressionar a tecla SHIFT, teclar Delete e confirmar
c) teclar Delete e confirmar
d) clicar com o botão direito do mouse, escolher Excluir e confirmar
e) clicar com o botão esquerdo do mouse, escolher Excluir e confirmar




solução:


Vamos pelo método de leiminação:

a) O arquivo vai abrir.
c) Abre uma caixa de diálogo perguntando se tem certeza que deseja mover este arquivo para a Lixeira.
d) Tem o mesmo sendito da letra C.
e) função para renomear o arquivo.


Com outra resposta:

Quando usamos o método da letra B, aparece uma caixa de diálogo perguntando se deseja remover este arquivo permanentemente.


Resposta Letra B.

(MATEMÁTICA) EXERCÍCIO PARA OS CORREIOS

Para cada real gasto em importação de calçados, em 2006, as indústrias brasileiras de calçados exportaram R$ 15,00. Se o valor total das expostações foi de R$ 180 milhões, qual foi, em milhões de rais, o valor das importações?


a) 12
b) 15
c) 18
d) 21
e) 27



SOLUÇÃO:



R$ 1,00 ----- R$ 15,00
x ----- R$ 180.000.000

X = 180.000.000/15
X = 12.000.000 -> 12 milhões


Resposta Letra A.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

(PORTUGUÊS) CFO-AL, 2009

TEXTO 1


O estudo dos gêneros não é novo, mas está na moda.

O estudo dos gêneros textuais não é novo e, no Ocidente,
já tem pelo menos vinte e cinco séculos, se considerarmos
que sua observação sistemática iniciou-se com Platão. O
que hoje se tem é uma nova visão do mesmo tema. Seria
gritante ingenuidade histórica imaginar que foi nos últimos
decênios do século XX que se descobriu e iniciou o estudo
dos gêneros textuais. Portanto, uma dificuldade natural no
tratamento desse tema acha-se na abundância e
diversidade das fontes e perspectivas de análise. Não é
possível realizar aqui um levantamento sequer das
perspectivas teóricas atuais.
O termo “gênero” esteve, na tradição ocidental,
especialmente ligada aos gêneros literários, cuja análise
se inicia com Platão para se firmar com Aristóteles,
passando por Horácio e Quintiliano, pela Idade Média, o
Renascimento e a Modernidade, até os primórdios do
século XX. Atualmente, a noção de gênero textual já não
mais se vincula apenas à literatura, mas é usada em
etnografia, sociologia, antropologia, retórica e na
lingüística.

(MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros
e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008, p.147. Adaptado.)



Como se sabe, o enquadramento de uma palavra em uma determinada classe gramatical depende das funções que a palavra desempenha nos contextos em que se insere. Assim, é correto afirmar que:

a) nos enunciados: “O estudo dos gêneros textuais não é novo.” e “Há um novo estudo sobre os
gêneros textuais.”, as palavras em destaque pertencem a classes diferentes, porque suas
funções são também diferentes.

b) nos enunciados: “Seria gritante ingenuidade histórica imaginar que foi nos últimos decênios
do século XX que se descobriu e iniciou o estudo dos gêneros textuais.” e “Os últimos
serão os primeiros...”, as palavras em destaque se enquadram em diferentes classes.

c) no trecho: “A expressão “gênero” esteve, na tradição ocidental, especialmente ligada aos
gêneros literários, cuja análise se inicia com Platão para se firmar com Aristóteles.”, as
palavras sublinhadas, embora se grafem da mesma maneira, são de classes distintas.

d) no enunciado: “Atualmente, a noção de gênero textual já não mais se vincula apenas à
literatura.”, as palavras destacadas têm funcionamento diferente, por isso se enquadram
em classes gramaticais também diferentes.

e) as palavras sublinhadas nos enunciados: “Não é possível realizar aqui um levantamento sequer das perspectivas teóricas atuais.” e “De todos os livros que li, apenas um deles tratava dos gêneros textuais com profundidade.” são da mesma classe gramatical.






SOLUÇÃO:



a alternativa A está incorreta, uma vez que, em ambos os enunciados, a palavra “novo” tem
funcionamento de adjetivo;
a alternativa B está correta, pois, no primeiro enunciado, a palavra “últimos” tem funcionamento de adjetivo e se liga ao substantivo “decênios”; no segundo enunciado, a palavra “últimos” está
funcionando como um substantivo;
a alternativa C está incorreta, pois em ambos os enunciados, o termo “se” se enquadra na classe dos pronomes;
a alternativa D está incorreta, pois ambas as palavras se enquadram na classe dos advérbios;
a alternativa E está incorreta, pois no primeiro enunciado o termo destacado é artigo, e no segundo é numeral.


Resposta Letra B.

domingo, 24 de outubro de 2010

CANDIDATOS NÃO FAZEM CONCURSO POR FALTA DE PROVAS

Uma falha administrativa da Fundação Getúlio Vargas (FGV), responsável pela aplicação do concurso da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ligada ao Ministério da Saúde, impossibilitou que dezenas de candidatos participassem do concurso aplicado neste domingo (24), no Rio de Janeiro. Não havia provas suficientes para todos os inscritos.

O coordenador de concursos da FGV, Michel Jourdan, disse que os candidatos prejudicados poderão fazer as provas em uma nova data que deve ser divulgada até o fim de semana.



Comentários:

RESPONDÃO: Brincadeira, e quando os candidatos fizeram as inscrições, a FGV não consegui contabilizar a quantidade de inscritos? A cada dia que passa os concursos no Brasil fica ainda mais "organizaduuuuuuuu..."

(BIOLOGIA) CFO-AL, 2009

A Biologia é a ciência que estuda a vida em seus diversos níveis de organização. Sobre este assunto, é correto afirmar que são características básicas de todos os seres vivos:

a) presença de carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio.
b) organização multicelular.
c) metabolismo aeróbio.
d) reprodução sexuada.
e) presença de carioteca.







SOLUÇÃO:



O carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio são elementos químicos presentes em todos os seres
vivos compondo as macromoléculas celulares. As demais alternativas descrevem características
somente presentes em certos organismos vivos. Por exemplo, as bactérias não possuem organização multicelular, podem possuir metabolismo anaeróbio, reproduzem-se assexuadamente e não possuem carioteca.


Resposta Letra A.

sábado, 23 de outubro de 2010

(PORTUGUÊS) VESTIBULAR/ ALAGOAS/ 2009

O estudo dos gêneros não é novo, mas está na moda.


O estudo dos gêneros textuais não é novo e, no Ocidente,
já tem pelo menos vinte e cinco séculos, se considerarmos
que sua observação sistemática iniciou-se com Platão. O
que hoje se tem é uma nova visão do mesmo tema. Seria
gritante ingenuidade histórica imaginar que foi nos últimos
decênios do século XX que se descobriu e iniciou o estudo
dos gêneros textuais. Portanto, uma dificuldade natural no
tratamento desse tema acha-se na abundância e
diversidade das fontes e perspectivas de análise. Não é
possível realizar aqui um levantamento sequer das
perspectivas teóricas atuais.
O termo “gênero” esteve, na tradição ocidental,
especialmente ligada aos gêneros literários, cuja análise
se inicia com Platão para se firmar com Aristóteles,
passando por Horácio e Quintiliano, pela Idade Média, o
Renascimento e a Modernidade, até os primórdios do
século XX. Atualmente, a noção de gênero textual já não
mais se vincula apenas à literatura, mas é usada em
etnografia, sociologia, antropologia, retórica e na
lingüística.

(MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros
e compreensão. São Paulo: Parábola, 2008, p.147. Adaptado.)



A análise das características gerais do Texto revela que:

1) ele tem uma função predominantemente fática; nele prevalecem a descrição e a utilização de uma linguagem formal, que está adequada ao gênero em que o texto se realiza.

2) sua função é prioritariamente referencial, embora no início do segundo parágrafo se evidencie um trecho metalingüístico; do ponto de vista tipológico, é caracteristicamente expositivo.

3) nele, podem-se encontrar algumas marcas da oralidade informal; por outro lado, sua linguagem é eminentemente conotativa e, embora seja descritivo, apresenta vários trechos injuntivos.

4) ele é um texto típico da linguagem escrita formal, que apresenta um vocabulário específico, embora numa formulação simples; cumpre uma função informativa e está elaborado conforme a
norma padrão da nossa língua.


Estão corretas apenas:

a) 1 e 2
b) 2 e 3
c) 3 e 4
d) 1 e 3
e) 2 e 4






SOLUÇÃO:




a proposição 1 está incorreta porque no Texto 1 nem prevalece a função fática (aquela que enfatiza o canal) nem a descrição;

a proposição 2 está correta, pois o texto tem prioritariamente uma função referencial, embora o
trecho em que o autor menciona “o termo ‘gênero’”, no início do segundo parágrafo, seja metalingüístico.
Além disso, o texto é caracteristicamente expositivo;

a proposição 3 está incorreta, pois no texto não há marcas da oralidade informal, sua linguagem não é eminentemente conotativa nem se evidenciam, nele, vários trechos injuntivos;

a proposição 4 está correta, pois o texto é típico da linguagem escrita formal, apresenta um vocabulário específico, embora esteja formulado com simplicidade; além disso, cumpre uma função informativa e está elaborado conforme a norma padrão da nossa língua.

Assim, estão corretas apenas as proposições 2 e 4.


Resposta Letra E.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

CORREIOS PARAÍBA 2005, ATENDENTE COMERCIAL, CONESUL

O produto de 4 dezenas por 2 dúzias vale:

a) 960

b) 720

c) 580

d) 480

e) 240


SOLUÇÃO:

Produto -> multiplicação entre os números.

40 x 24 = 960

Resposta Letra A.

PEC DOS CARTÓRIOS

Tramita na Câmara dos Deputados uma proposta de Emenda Constitucional (PEC) que efetiva os atuais responsáveis pelos cartórios sem que eles tenham realizado concurso. Se for aprovado, o documento seguirá para o Senado.

AGENTE DE SEGURANÇA PENITENCIÁRIA 2010- PERNAMBUCO

NOTA: Informamos aos Ilustres candidatos do concurso para provimento do cargo de Agente Penitenciário que a fase de investigação social está sendo concluída até dez/2010 quando será divulgado o calendário relativo ao início do Curso de Formação.



Mais informações: http://www.escolapenitenciaria.pe.gov.br/

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

POLÊMICA NO ENEM 2010

No próximo mês nos dias 6 e 7 de novembro do corrente ano, serão aplicadas as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Na manhã desta quinta feira fiquei sabendo que está proibido levar lápis grafite, que seria usado principalmente para escrever o rascunho da redação. Também é proibido levar relógio que ajudaria para dividir o tempo das provas, segundo edital que normatiza a avaliação.

DEIXEM SEUS COMENTÁRIOS SOBRE O ASSUNTO.


RESPONDÃO: Brincadeira proibir lápis grafite, tem coisa mais importante para proibir.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

(INFORMÁTICA) EXERCÍCIO PARA OS CORREIOS

A área de trabalho personalizável do Windows, na qual se pode exibir os ícones e os elementos em HTML, bem como enviar informações na forma de anúncios e lembretes, é denominada:


a) DirectX
b) Accessibility Desktop
c) Active Desktop
d) Directory Services Desktop
e) Update Web Desktop





SOLUÇÃO:



Quando ligamos o computador o Windows é transferido do disco rígido para memória de trabalho, RAM. Surge, então, a tela inicial do Windos chamada de Área de Trabalho (Active Desktop)


Resposta Letra C.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

(MATEMÁTICA) EXERCÍCIO PARA OS CORREIOS

A trasmição de energia sem uso de fios vem sendo pesquisada, mas ainda é preciso melhorar a eficiência da transmissão. De cada 100 watts enviados pela bobina emissora, apenas 55 watts são aproveitados. A razão estre as quantidades de energia perdida e aproveitada na transmissão sem fio pode ser representada pela fração:


a) 7/10
b) 9/11
c) 10/11
d) 7/20
e) 11/20





SOLUÇÃO:




100 watts enviados
55 watts aproveitados

100 - 55 = 45 watts perdidos

A razão entre as quantidades perdida e aproveitada:

45/55 -> dividido por 5
9/11


Resposta Letra B.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

O "X" DE TÓXICO

Muitos leitores perguntam como se lê a palavra tóxico. Esse x é como o de lixo ou como o de fluxo? Nada de ler o x de tóxico como o de lixo. Leia-o como o de fluxo. O x no caso, produz dois fonemas, ou seja, dois sons. Foneticamente, equivale a cs. E é claro que na família toda se verifica a mesma pronúncia: intoxicado, intoxicação, intoxicar, intoxicou-se, intoxicaram-se.





FONTE: Português passo a passo com Pasquale Cipro Neto

(PORTUGUÊS) EXERCÍCIO PARA O MPU E OS CORREIOS

TEXTO


A visão do sujeito indivíduo - indivisível-
pressupõe um caráter singular, único, racional e pensante em
cada um de nós. Mas não há como pensar que existimos
previamente a nossas relações sociais: nós nos fazemos em
teias e tensões relacionais que conformarão nossas
capacidades, de acordo com a sociedade em que vivemos.
A sociologia trabalha com a concepção desssa realção entre
o que é "meu" e o que é "nosso". A pergunta que propõe
é: como nos fazemos e nos refazemos em nossas relações
com as intituições e nas relações que estabelecemos com os
outros? Não há, assim, uma visão de homem como uma
unidade fechada em si mesma, como Homo clausu.
Estaríamos envolvidos, constantemente, em tramas
complexas de internalização do "exterior" e, também, de
rejeição ou negociação próprias e singulares do "exterior".
As experiências que o homem vai adquirindo na relação com outros
são as que determinarão as suas aptidões, os seus gostos, as suas formas de agir.


JULGUE O SEGUINTE ITEM, A RESPEITO DAS ESTRUTURAS LINGUÍSTICAS E DO DESENVOLVIMENTO ARGUMENTATIVO DO TEXTO ACIMA.


O uso da forma verbal flexionada na primeira pessoa do plural "Estaríamos" (l.13) inclui autor e leitores no desenvolvimento da argumentação, de tal modo que seria coerente e gramaticalmente correto substituir "o homeme vai adquirindo" (l.16) por vamos adquirindo, no período seguinte.







SOLUÇÃO:



A substituição da palavra "homem" por "nós", além da mundança na flexão verbal como está na proposição ('vai" por "vamos"), exige que os pronomes na 3ª pessoa do singular "suas" e "seus" nas linhas 17 e 18 sejam substituídos pelos pronomes da 1ª pessoa do plural "nossas" e "nossos". Teríamos, assim: "... determinarão as nossas aptidões, os nossos gostos, as nossas formas de agir".

Governo de Pernambuco abre 82 vagas de nível superior

Profissionais com curso superior em qualquer área de formação podem participar do concurso público da Secretaria Especial da Controladoria Geral do Governo de Pernambuco para o cargo de analista de controle interno. São três especialidades: Finanças Públicas, Obras Públicas ou Tecnologia da Informação. O órgão abriu 82 vagas, das quais cinco são reservadas para portadores de deficiência.

A remuneração no primeiro ano de ingresso será de até R$ 3.748,50 para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais. Do total de vagas, 72 são para Finanças Públicas, oito para Obras Públicas e duas para Tecnologia da Informação.

As inscrições podem ser feitas no período de 18 de outubro a 3 de novembro, pelo endereço eletrônico www.cespe.unb.br/concursos/secge_pe2010, com taxa de participação no valor de R$ 100.

O concurso terá duas etapas. A primeira será realizada pelo Cespe/UnB, que aplicará provas objetivas e de redação, na data provável de 19 de dezembro. Já a segunda etapa consistirá em Programa de Formação, que será ministrado pela Secretaria Especial da Controladoria Geral. Todas as etapas serão em Recife.

SERVIÇO
Concurso: Secretaria Especial da Controladoria Geral de Pernambuco
Cargos: Analista de Controle Interno
Vagas: 82
Inscrições: de 18 de outubro a 3 de novembro
Taxa de inscrição: R$ 100
Remuneração: de até R$ 3.748,50 no primeiro ano de ingresso
Provas objetivas e de redação: 19 de dezembro

Outras informações no endereço eletrônico www.cespe.unb.br/concursos/secge_pe2010 ou na Central de Atendimento do Cespe/UnB, de segunda a sexta, das 8h às 19h - Campus Universitário Darcy Ribeiro, Sede do Cespe/UnB, pelo telefone (61) 3448 0100.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

(INFORMÁTICA)AGENTE DA POLÍCIA/2006 /MARANHÃO/ FCC

Contém somente opções do menu Inserir no Word, versão em português:

a) Data e hora..., Símbolo... e Macro.
b) Diagrama..., Miniaturas e AutoAjuste.
c) Auto Texto, Objeto e Macro.
d) Quebra..., Idioma e Miniaturas.
e) Quebra..., AutoTexto e Comentário.




SOLUÇÃO:


Usando o método de eliminação, a letra A -> Macro é encontrado no menu ferramentas;
B -> Miniaturas, não contém em nenhum menu de comando. Acho que o autor da questão queria usar a palavra Minúscula, que é encontrado no menu formatar.
C -> Macro é encontrado no menu ferramentas;
D -> Miniaturas, não contém em nenhum menu de comando. Acho que o autor da questão queria usar a palavra Minúscula, que é encontrado no menu formatar.


Resposta Letra E.

(Raciocínio Lógico) EXERCÍCIO PARA O TRT

Armando e Cleusa formam um casal de mentirosos. Armando mente às quartas, quintas e sextas-feiras, dizendo a verdade no resto da semana. Cleusa mente aos domingos, segundas e terças-feiras, dizendo a verdade nos outros dias da semana. Um certo dia ambos declararam: “Amanhã é dia de mentir”. Qual o dia em que foi feita essa declaração?




a) segunda-feira
b) terça-feira
c) quarta-feira
d) sexta-feira
e) Sábado






SOLUÇÃO:



Evidente que ambos só podem declarar esta frase na terça-feira.


Resposta Letra B.

(Raciocínio Lógico) EXERCÍCIO PARA O TRT

O algarismo das unidades do número N = 1 x 3 x 5 x 7 x 9 x ... x 999


a) 1
b) 3
c) 5
d) 7
e) 9





SOLUÇÃO:




Observe que todos os números do produto, são ímpares, e além disso o produto
de qualquer número ímpar por 5 termina com o algarismo 5. Logo a opção
correta é: o algarismo das unidades é 5.

Resposta Letra C.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

(PORTUGUÊS) ANALISTA DE PATENTES - INPI

Compadrismo


O compadrismo é uma autêntica instituição nacional, nascida dessa nossa tendência para a aproximação e a camaradagem. TAmbém a nossa política anda impregnada desses mesmos sentimentos, que têm levado o Brasil à beira do abismo, porque o governo tem de ser muito pessoal e individualista, cehio de vantagens e prejeções, de abraços e intimidades.



Ao dizer que o compadrismo nasce da nossa tendência para a aproximação e a camaradagem, o autor do texto comete um erro argumentatiovo, que é:


a) atribuir a um efeito a posição de causa.
b) partir de uma inferência para o seu raciocínio.
c) misturar método dedutivo e indutivo.
d) formular inadequadamente um silogismo
e) partir do geral para o particular.



SOLUÇÃO:


O autor inverte, embora isso não seja fácil de perceber, a causa e o efeito. O compadrismo (os dicionários registram compadrice e compadrio) é que deu origem à nossa tendência para a aproximação e a camaradagem. Melhor ainda, ele é a própria aproximação e camaradagem. De qualquer forma, trata-se de uma questão discutível.


resposta Letra A.

domingo, 10 de outubro de 2010

O VINHO E OS CONCURSOS PÚBLICOS

Em viagem recente, tive a oportunidade de visitar o Vale dos Vinhetos, no Rio Grande do Sul, e aprender um pouco mais sobre o vinho. Como se sabe, o país tem se notabilizado por um grande progresso na qualidade de seu vinho. Para aperfeiçoar a qualidade do nosso vinho, uma das providências foi diminuir a produção de uva por hectare. Antes, produzia-se de 20 a 25 mil quilos por hectare e, para se ter um bom vinho, reduziu-se a produção para faixa de 10 a 13 mil quilos de uva por hectare. A iniciativa funcionaou: o vinho ficou melhor. Anos atrás, o vinho brasileiro era discriminado e reprovado, depois que os produtores tiveram coragem de melhorar a qualidade e fazer os cortes recomendados, nosso vinho passou a ganhar prêmios e medalhas no exterior. O Merlot Premium 99, da Valduga, ganhou nove medalhas!

E você ganhará as suas, seus justos prêmios e aprovações, nomeações e cargos, a partir do tempo em que se organizar. Claro que, até colher as uvas, leva algum tempo, mas – como se sabe – concurso público não é para passar, mas até passar. O candidato mais produtivo não é o que estuda mais, mas sim o que estuda melhor. Com um pouco de esforço, você poderá organizar sua vida, mas mantendo um mínio de sanidade e equilíbrio. Um candidato que faz isso rende mais no estudo e não “surta” nem disite no meio do caminho.

Outro dado sobre o vinho. Perguntei ao técnico se era realmente verdade que nosso vinho é o melhor para o coração do que os vinhos estrangeiros. A resposta foi espetacular. As substâncias que ajudam o coração e diminuem o risco de enfartes são os polifenóis, dentro dos polifenóis, há o grupo dos estilbenos. Os estilbenos são absorvidos pela corrente sanguínea e transformam o LDL (colesterol ruim) em HDL (colesterol bom). Este tipo de polifenol é a principal defesa natural que a uva cria para proteger dos fungos. Dessa forma, o fungo, que é um drama para o vicultor, toma nosso vinho mais especial. Se o produtor brasileiro conseguir fazer o fungo não destruir a produção de seu vinhedo, a uva bem cuidada que sair do vinhedo será a melhor para a saúde do que aquelas uvazinhas plantadas em lugares sem esse problema.

Mais uma vez o concurso. As dificuldades por que você está passando, hoje, podem ser comparadas aos fungos: vão dar um trabalho extraordinário, vão exigir esforço, fé, persistência, garra. Em compesação, você terá no sangue o equivalente emocional aos polifenóis das uvas. As dificuldades que não o vencerem vão transfoma-lo em alguém mais forte, mais experiente, mais capacitado. Quando você chagar ao seu grau de maturidade para passar nas provas, verá que parte do candidato mais sério, organizado e preparado em que se transformou é fruto das dificuldades que exigiram sua melhora.

Saiba dosar seu tempo para que as coisas funcionem como remédio, e não como veneno. E lembre-se de que as dificuldades apenas estão moldando um vinho, digo, um candidato mais forte e especial. Quando passar, além de me mandar um e-mail, para que eu me alegre com, junto e por você.

FONTE: WILLIAM DOUGLAS – JUIZ FEDERAL E ESPECIALISTA EM CONCURSOS PÚBLICOS.

Contax abre 6,2 mil vagas em 7 estados em contact center

A Contax, empresa de contact center, seleciona profissionais para 6.200 vagas em sete estados, todas para o cargo de atendente de call center.

São 2.100 vagas em São Paulo, 500 no Rio de Janeiro, 500 vagas em Minas Gerais, 810 no Ceará, 1.000 em Pernambuco, 920 na Bahia e 400 no Rio Grande do Sul, sempre nas capitais.

Os interessados devem ter idade mínima de 18 anos, ensino médio completo, boa comunicação verbal e conhecimentos básicos de informática. O processo de seleção é composto por entrevistas, testes de português, matemática e dinâmicas de grupo.

Além da carteira assinada, a empresa diz oferecer assistência médica e odontológica, vale-refeição, vale-transporte, treinamento, convênios com faculdades e oportunidades de crescimento.

Os interessados devem cadastrar os currículos no site www.contax.com.br, no campo “Trabalhe Conosco”.




FONTE: G1

INSCRIÇÕES ABERTA PARA AGÊNCIA BRASILEIRA DE INTELIGÊNCIA (Abin)

As inscrições vão até 4 de outubro de 2010, são 80 vagas imediatas, escolaridade de níveis médio e superior, remuneração entre R$ 4.515 e R$ 10.520, mais informações no site:

www.cespe.unb.br/concursos/abin2010

Brasileiro faz curso até de madrugada para subir na vida

De segunda a sexta-feira, o dia de Daniela Alves Santos, de 23 anos, começa às 7h da manhã com um copo de leite e termina às 2h30 depois de uma aula de matemática financeira, estatística, marketing ou contabilidade. Durante o dia, ela trabalha no setor administrativo de uma empresa de desenvolvimento sustentável e, de madrugada, cursa administração numa universidade particular da Zona Sul de São Paulo.

São cinco horas de sono por noite. Trem, ônibus e metrô lotados para ir de casa ao trabalho e do escritório à universidade - esforço que deve dar a ela, daqui a dois anos, um diploma de ensino superior: o primeiro da família.

A estudante de administração é um retrato da nova classe média, que tem conquistado uma renda melhor não só com "bicos" e trabalho dobrado, mas com investimento pessoal em educação. Uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, coordenada pelo professor Marcelo Néri, conseguiu medir o impacto dos anos de estudo a mais na renda da população.

Fica bem claro que esses ganhos foram maiores nas classes mais baixas. "A renda dos mais pobres cresceu muito e a educação explica dois terços desse movimento. Enquanto no topo, a taxa de crescimento é menor e a educação explica menos, porque são pessoas que já tinham acesso ao conhecimento", esclarece o pesquisador.

Entre 2003 e 2009, a renda individual do brasileiro cresceu 3,8% ao ano. Entre os 20% mais pobres, esse crescimento foi duas vezes maior. A novidade trazida por Néri é a comparação da renda com o nível de escolaridade e com a jornada de trabalho. No mesmo período, os brasileiros mais pobres conseguiram aumentar os anos de estudo em 5,19%, enquanto esse índice entre os mais ricos nem sequer chegou a 1%. Por sua vez, as horas de trabalho dos trabalhadores das classes C e D diminuíram. Aqui, Daniela, que nem se formou ainda, também serve de exemplo.

Ela está na metade do curso de graduação e já sentiu a conta engordar. Em dois anos, passou de estagiária a gerente administrativa: o salário multiplicou por três. Na casa onde vive com a mãe, pensionista, a universitária é hoje quem tem a maior renda. Além de pagar a faculdade sozinha, Daniela consegue realizar pequenos sonhos: comprou computador e celular e faz planos de colocar o primeiro carro na garagem no início do ano que vem. "Nada disso seria possível sem estudo. O último aumento, que recebi há três meses, jamais teria vindo se eu estivesse parada."

Um levantamento do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Superior do Estado de São Paulo (Semeesp) constatou que 72% dos estudantes que concluem o ensino superior conseguem aumento salarial. "A produtividade do profissional aumenta e o salário é reajustado também", explica o economista Rodrigo Capelato, diretor executivo do sindicato.

Os números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram essa evolução: numa família em que todos os membros têm no máximo o ensino médio, a renda mensal gira em torno de R$ 1.659,99. Quando alguém, na casa, tem o diploma de graduação esse valor vai para R$ 4.296,05.

"Parece estranho, porque em alguns segmentos da sociedade ter ensino superior hoje é o mínimo. Mas o fato é que essa é uma realidade distante da maioria e quem consegue esse feito se destaca", diz Hélio Zylberstajn, pesquisador do Observatório do Emprego e presidente do Instituto Brasileiro de Relações de Emprego e Trabalho (Ibret). No País, cerca de 44 milhões de famílias não sabem o que é ter alguém numa universidade.

Para Daniela, isso só foi possível com um bom desconto na mensalidade. Com o salário de estagiária, não dava para pagar mais de R$ 200 por mês pelo curso. Para não extrapolar a renda e continuar ajudando em casa, o jeito foi estudar de madrugada, das 23h à 1h45.

Desde o ano passado, o horário é oferecido pelo Centro Universitário UniÍtalo, na zona sul de São Paulo, pela metade do preço. Dos 10 mil alunos, 1,1 mil estudam de madrugada. "Há dois anos decidimos focar nas classes C e D e sentimos necessidade de oferecer horários diferentes para esses alunos, que precisam trabalhar para pagar os estudos", diz o pró-reitor de graduação Luiz Carlos de Souza. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



FONTE: G1

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

(DIREITO DO TRABALHO) TRT/ 15ªR/2009, ANALISTA JUDICIÁRIO, FCC

Com relação às nulidades é incorreto afirmar:


a) As nulidades serão declaradas somente se do ato inquinado de nulo resultar manifesto prejuízo à parte.
b) A nulidade não poderá ser arguida por que lhe tiver dado causa.
c) A nulidade somente atingirá ps atos posteriores, dependentes ou consequentes do ato nulo.
d) Se a parte não arguir a nulidade relativa n a primeira vez que tiver de falar nos autos ou na audiência esta não se convalida, podendo ser arguida em outra oportunidade.
e) Não haverá nulidade se o juiz decidir o mérito da questão em favor da parte a quem aproveite a declaração de nulidade.




SOLUÇÃO:



Dispõe do art. 795 da CLT que as nulidades não serão declaradas se não mediante provocação das partes, as quais deverão argui-las à primeira vez em que tiverem de falar em audiência ou nos autos.


Resposta Letra D.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

(INFORMÁTICA) EXERCÍCIO PARA O TRT

Uma URL é:


a) um aplicativo de busca na internet.
b) um navegador, também conhecido como browser.
c) o nome de um computador na internet.
d) um lugar para se hospedar páginas da Web.
e) um endereço de um arquivo ou objeto na internet (na Web).






SOLUÇÃO:


URL -> é o endereço que qualquer um desses objetos habitam na Web


Resposta Letra E.

(RACIOCÍNIO LÓGICO) EXERCPICIO PARA TRT

Uma caixa contém 100 bolas, das quais 30 são vermelhas, 30 azuis, 30 são verdes e das 10 restantes algumas são pretas e outras são brancas. Qual o número mínimo de bolas que devem ser retiradas da caixa, sem lhes ver a cor, para termos certeza que entre elas existem pelo menos 10
bolas da mesma cor?


a) 31
b) 33
c) 37
d) 38
e) 39





SOLUÇÃO:



É evidente que é necessário retirar pelo menos 38 bolas, (10 brancas ou pretas + 9 vermelhas + 9 azuis + 9 verdes + 1 que completa as 10 que queremos).
Logo 10 + 9 + 9 + 9 + 1 = 38


Resposta Letra D.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

(PORTUGUÊS) MJ/DDF/2009, AGENTE DE POLÍCIA FEDERAL, CESPE

TEXTO

A visão do sujeito indivíduo - indivisível-
pressupõe um caráter singular, único, racional e pensante em
cada um de nós. Mas não há como pensar que existimos
previamente a nossas relações sociais: nós nos fazemos em
teias e tensões relacionais que conformarão nossas
capacidades, de acordo com a sociedade em que vivemos.
A sociologia trabalha com a concepção desssa realção entre
o que é "meu" e o que é "nosso". A pergunta que propõe
é: como nos fazemos e nos refazemos em nossas relações
com as intituições e nas relações que estabelecemos com os
outros? Não há, assim, uma visão de homem como uma
unidade fechada em si mesma, como Homo clausu.
Estaríamos envolvidos, constantemente, em tramas
complexas de internalização do "exterior" e, também, de
rejeição ou negociação próprias e singulares do "exterior".
As experiências que o homem vai adquirindo na relação com outros
são as que determinarão as suas aptidões, os seus gostos, as suas formas de agir.


JULGUE O SEGUINTE ITEM, A RESPEITO DAS ESTRUTURAS LINGUÍSTICAS E DO DESENVOLVIMENTO ARGUMENTATIVO DO TEXTO ACIMA.


O emprego do sinal de dois-pontos, na l.9, anuncia que uma consequência do que foi dito é explicitar a pergunta proposta pela sociologia.




SOLUÇÃO:




Nesse caso, o sinal de dois-pontos introduz uma explicação, uma exposição da pergunta anunciada na preposição anterior.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

(RACIOCÍNIO LÓGICO) EXERCÍCIO PARA O TRT

O algarismo das unidades do número N = 1 x 3 x 5 x 7 x 9 x ... x 999


a. 1
b. 3
c. 5
d. 7
e. 9



Solução



Observe que todos os números do produto, são ímpares, e além disso o produto de qualquer número ímpar por 5 termina com o algarismo 5. Logo a opção correta é: o algarismo das unidades é 5.

Resposta “C

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

(PORTUGUÊS) MJ/DDF/2009, AGENTE DE POLÍCIA FEDERAL, CESPE

TEXTO


A visão do sujeito indivíduo - indivisível- pressupõe um caráter singular, único, racional e pensante emcada um de nós. Mas não há como pensar que existimos previamente a nossas relações sociais: nós nos fazemos emteias e tensões relacionais que conformarão nossascapacidades, de acordo com a sociedade em que vivemos.A sociologia trabalha com a concepção desssa realção entre o que é "meu" e o que é "nosso". A pergunta que propõeé: como nos fazemos e nos refazemos em nossas relaçõescom as intituições e nas relações que estabelecemos com os outros? Não há, assim, uma visão de homem como umaunidade fechada em si mesma, como Homo clausu.Estaríamos envolvidos, constantemente, em tramascomplexas de internalização do "exterior" e, também, derejeição ou negociação próprias e singulares do "exterior".As experiências que o homem vai adquirindo na relação com outros são as que determinarão as suas aptidões, os seus gostos, as suas formas de agir.



JULGUE O SEGUINTE ITEM, A RESPEITO DAS ESTRUTURAS LINGUÍSTICAS E DO DESENVOLVIMENTO ARGUMENTATIVO DO TEXTO ACIMA.


2- A inserção do sinal indicativo de crase em "existimos previamente a nossas relações sociais" (l.3-4) preservaria a correção gramatical e a coerência do texto, tornado determinado o termo "relações".




SOLUÇÃO:


O sinal indicativo de crase não é adequado nessa caso, pois não há a presença do artigo definido. Como o termo "relações" está no plural, deveria ser determinado por um artigo também no plural, que, fundido com apreposição "a" resultaria na forma "às".

sábado, 25 de setembro de 2010

PORTUGUÊS PASSO A PASSO

"À TOA" E "À-TOA"


Por falar em expressão parecidas, mas muito diferentes no significado, aqui vai uma dupla terrível:
"à toa" e "à-toa".

À toa modifica o verbo, significa a esmo -> Andei horas à toa / Passei a vida à toa.

À-toa é um adjetivo, significa insignificante, desprezível -> É um homem à-toa.




Português passoa a passo com Pasquale Cipro Neto, é professor de português desde 1975. É consultor de língua portuguesa do Departamento de Jornalismo da Rede Globo, em São Paulo, desde 1996.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Decreto insere novas regras para avaliação psicológica em concursos

Foi publicado no “Diário Oficial da União” desta quinta-feira (23), na página 10 da Seção 1, o decreto presidencial nº 7.308 que insere novas regras para a realização de avaliações psicológicas de candidatos a concursos públicos.

As normas alteram o artigo 14 do Decreto nº 6.944/2009, que dispõe sobre concursos públicos no Poder Executivo Federal.

Entre as modificações está que a realização de avaliação psicológica do candidato só poderá ser feita mediante previsão legal específica, que não seja feita indiscriminadamente e sim por exigência de determinada carreira e que esse exame esteja previsto no edital do concurso.

De acordo com o decreto, a avaliação psicológica deverá ser realizada depois da aplicação das provas escritas, orais e de aptidão física.

Para definir os requisitos psicológicos será necessário formular estudo científico prévio das atribuições e responsabilidades dos cargos, com descrição detalhada das atividades e tarefas, identificação dos conhecimentos, habilidades e características pessoais necessárias ao exercício do trabalho e identificação de características restritivas ou impeditivas para o cargo.

Assim, os instrumentos de avaliação devem deixar de forma clara e objetiva os requisitos psicológicos, que devem estar especificados no edital.

Os candidatos deverão ter acesso à cópia das avaliações realizadas, independente de terem sido considerados aptos ou inaptos no exame. Os prazos e a forma de interposição de recurso serão definidos no edital do concurso.

Se no julgamento de recurso do candidato o entendimento for de que a documentação e a fundamentação da avaliação psicológica são insuficientes para uma conclusão sobre as condições do candidato, a avaliação psicológica será anulada e novo exame será realizado.




FONTE: G1

REGÊNCIA VERBAL: COMO OS VERBOS SE COMPORTAM EM RELAÇÃO AOS SEUS COMPLEMENTOS

Ao passo que a análise das vozes do verbo diz respeirto ao modo como ele se relaciona com o seu sujeito, a regência verbal trata das diversas possibilidades de relacionamento entre verbos e seus possíveis complementos. Por que possíveis? Porque quando os analisamos percebemos que, às vezes, podem não pedir complementos - estes são os chamados INTRANSITIVOS. Observe o que eu te disse: ser intransitivo, segundo a norma culta, significa não pedir complementos (objetos diretos e objetos indiretos); isto não quer dizer que o verbo não possa te pedir outro termo da oração que o suceda, auxiliando-o na transmissão do conteúdo verbal, esse termo é o adjunto adverbial. Observe os seguintes exemplos: As criticas do torcedor contra o juiz não procedem. Veja que o verbo proceder neste sentido de ter fundamento não nos pediu absolutamente nenhum complemento. Já quando visualizamos a frase: Muitos torcedores não foram ao estádio de futebol. Perceba que o termo sublinhado – ao estádio de futebol não é um complemento verbal (mesmo que a frase não sobreviva semanticamente sem esse termo) é na verdade um adjunto adverbial de lugar, por este motivo o verbo é chamado simplesmente de intransitivo ou ainda, segundo Rocha Lima, transitivos circunstanciais.

Existem ainda os transitivos diretos e os transitivos indiretos, que pedem complemento: os primeiros, sem preposição e os segundos, com preposição. Na oração: Devemos conhecer os bens caminhos. Percebe-se que os bons caminhos é um termo que representa o objetivo direto direto da oração – termo que complementa o sentido de um verbo sem a presença da preposição. Nesta outra: Os jovens necessitam de mais apoio. O sintagma de mais apoio completou o sentido do verbo necessitar exigindo a preposição DE, logo será chamado de objeto indireto.

Os verbos de ligação são aqueles que – por não representarem uma ação verbal – limitam-se a ser uma ponte entre o sujeito da oração e o predicativo (atributo dado ao sujeito dado ao sujeito por intermédio de um verbo). Observe que, na frase. As alunas estão doentes, o verbo estar liga as alunas ao seu estado atual, doentes, mas uma clasificação complemente diferente poderia ser aplicada ao verbo estar num frase como esta: As alunas estão no hospital. Note que, dentro deste contexto específico, quando se observa o verbo estar, pergunta-se onde? Portanto a resposta para esta pergunta será classificada como adjunto adverbial de lugar, e o verbo passará a ser INTRANSITIVO.

Observamos esta questão da Fundação Carlos Chagas:

Afinal, o verdadeiro tradutor precisa de formação teóricoprática sólida... O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o do grifado acima está a frase:

a) O tradutor é um dos principais responsáveis pelo intercâmbio cultural entre as nações.

b) ... pois espelha textos numa língua diferente...

c) ... para tomar a melhor decisão diante de uma expressão nova...

d) O reconhecimento de seu trabalho levaria a cursos superiores...

e) ... para contabilizar sua importância...

Observa-se na frase dada pela questão que o verbo é precisar no sentido de necessitar – verbo transitivo indireto que exige a preposição DE – e a única alternativa que nos traz um verbo trnasitivo indireto também é letra D, que nos mostra a estrutura: levaria a cursos superiores, esse termo grifado é objeto indireto regido pela preposição A. Vamos revisar periodicamente os assuntos que sem dúvida caem em todas as provas de concursos. Até a próxima!

FONTE: Fabiana Ferreira é licenciada em Língua Portuguesa e Espanhola pela UFPE, especialista em Gramática Normativa e professora de Português do Nuce.

Medicina em Garanhuns é o curso mais concorrido do vestibular da UPE

Em seu primeiro ano oferecido na cidade de Garanhuns, no Agreste, o curso de Medicina da UPE já desponta como o mais concorrido no Vestibular 2011, com 54,25 candidatos por vaga. O número foi divulgado nesta quinta-feira (23) pela instituição, que terá, ao todo, 37.510 candidatos disputando 2.864 vagas no vestibular regular e 716, no seriado.

O segundo curso mais concorrido é o de Direito, em Arcoverde, no Sertão, com 45,35 candidatos por vaga, seguido pelo de Medicina em Recife, com 37,47 por vaga. A quarta e a quinta posição são ocupadas, respectivamente, pelos cursos de Psicologia em Garanhuns (24,18 concorrentes por vaga) e Ciências Biológicas em Recife (22,60).

Apesar de Medicina em Garanhuns ser o mais concorrido, os dois cursos que possuem mais inscritos São Medicina e Administração no campus Recife.

Segundo Isabel Avelar pró-reitora de graduação e presidente da comissão do vestibular, este ano apresenta a menor discrepância da história da instituição entre número de candidatos inscritos no interior (17.634) e na capital (20.149), 46,29% e 53,71% do total, respectivamente. “Os alunos que residem no interior do Estado é quem realmente se inscreveu nesses cursos”, explicou Isabela.

As provas estão marcadas para os dias 28, 29 e 30 de novembro. Os candidatos irão concorrer a vagas distribuídas nos campi de Nazaré da Mata, Garanhuns, Petrolina, Recife, Caruaru, Salgueiro e Arcoverde.

ISENÇÃO
Este ano a instituição também bateu recorde de isenções na taxa de inscrição. O número saltou de cerca de dois mil no ano passado para mais de 11 mil este ano. A razão é que uma lei estadual prevê o não pagamento de taxas de inscrição em concursos públicos por pessoas inscritas no programa do Governo Federal CadÚnico e que apresentam Número de Inscrição Social (NIS).





FONTE: PE360GRAUS

Como Passar em Concursos

Todo projeto, para ser bem sucedido, precisa de uma estratégia planejada. Isso serve também para os:
· Concursos públicos
· Vestibulares
· Testes supletivos
· Testes de seleção de pessoal
Todos não passam de mais "jogos", que precisamos saber jogar.
Entretanto, ler sobre como ser bem sucedido em concursos, não significa que teremos sempre êxito. Isso acontece porque, mesmo advertidos, pecamos em algumas orientações simples:
· Escolhendo a vaga apenas pelo salário que oferece
· Não estudando corretamente as matérias (por falta de tempo, achar que "já sabe demais", ou dedicando-se mais às matérias erradas)
· Lendo superficialmente o edital
· Não possuindo os requisitos exigidos (estar aquém do grau de exigência intelectual ou física necessárias)
· Não adquirindo apostilas e livros necessários
Contudo, alguns cuidados são indispensáveis. Muitas pessoas bem preparadas não são bem sucedidas em seleções justamente por não observarem esses pontos.

ESCOLHA


A fase de decidir para qual curso, ou cargo, concorrer é uma das mais importantes nesse tipo de processo. Uma escolha mal feita pode detonar todo o projeto, logo de início. Às vezes, nem é interessante ser candidato, muito mais porque está cada vez mais difícil pagar as taxas de inscrição.

1. SALÁRIO A necessidade de salário é bem particular para cada um. A exigência é bem menor para aqueles em início de carreira (que precisam ainda ganhar experiência) ou desempregados, do que para os com muitas obrigações e dependentes. Mas, em geral, precisamos analisar qual a remuneração mínima que podemos aceitar (incluindo o salário indireto - benefícios, comissões e gratificações).
Muitas pessoas ainda utilizam o antigo critério de só se candidatarem a vagas que garantam uma remuneração, no mínimo, 50% superior a que já possuem, quando na realidade a crise econômica mundial não está permitindo mais a escala financeira que muitos sonham ou merecem.
Dependendo da situação, manter o mesmo poder aquisitivo, ou até trocá-lo por uma maior estabilidade, já é lucro. É importante lembrar que, conforme o regime de trabalho, os impostos (imposto de renda na fonte, previdência social e fundo de garantia) podem levar boa parte do salário bruto. Às vezes um salário menor com menos descontos é tão atraente quanto o que se ganha hoje.
Outro fator primordial é o índice de reajuste da categoria, ao qual o salário está associado, para evitar que a maior parte da sua remuneração direta seja engolida pelo tempo.
No geral, concorrer a vagas apenas pelo alto salário oferecido pode levar a sucessivos fracassos em concursos, uma vez que a competição é muito mais acirradas nesses casos

2. NÚMERO DE VAGAS Ao contrário do que muita gente pensa, quanto menos vagas existirem para uma categoria, melhor. Isso acontece porque a maioria dos concorrentes prefere disputas "mais fáceis", para cargos com muitas vagas. O resultado é justamente o inverso: Quanto mais vagas, maior a procura

3. CONCORRÊNCIA Já o grande número de candidatos à vaga é desestimulante, pois aumenta a probabilidade de existirem concorrentes mais bem preparados. Também é interessante verificar a relação de "Número de vagas X Concorrentes", para analisar proporcionalmente o que significa aquele número de candidatos.
Processos seletivos pouco divulgados e de órgaos pouco conhecidos também tendem a ter baixa concorrência

4. EXIGÊNCIAS A tendência é o aumento do nível de exigência para as classificações. Por outro lado, o crescimento da concorrência no mercado de trabalho e a escassez de vagas disponíveis, fazem com que os seletores possam escolher mais rigorosamente entre a mão-de-obra disponível. Noções de Informática e inglês, por exemplo, devem se tornar comum.
Assim, é frustrante tentar um concurso que exige muito além da sua capacidade (como acontece em concursos da área de fiscalização, jurídica, seleções para embaixador e em algumas provas para cursos internacionais).
Para diminuir esse problema, é interessante manter-se atualizado, estudando constantemente, e com bastante antecedência da data das provas.
Esse princípio também vale para os exames que aferem a capacidade prática ou física do candidato. Não adiante entrar numa seleção para a qual você não tem condições de passar nos testes de aptidão no computador ou nos 100m rasos, por exemplo.
O nível de escolaridade exigido determina fortemente o grau da concorrência que se vai ter. Entrar em seleções que exijam apenas o segundo grau, quando já se ganhou toda a experiência de um curso universitário pode fazer a diferença do candidato

5. BENEFÍCIOS Os benefícios de uma função agregam valor real ao salário. Em muitos casos, superando até o próprio salário base. Para tal, deve-se somar o valor dos tickets alimentação, parcela do plano de saúde paga pela empresa, cesta básica, ajuda de custo, ajuda de transporte, gratificações e adicionais.
Mas, atenção: é importante saber se os benefícios serão incorporados à remuneração em caso de licenças e aposentadoria. Caso contrário, o salário, quando inativo, não justificará todos os anos dedicados àquele trabalho. O salário indireto também pode ser perdido a qualquer momento.
A forma de aposentaria é um forte diferencial. Quando a empresa oferece complemento ou equiparação salarial do aposentado em relação ao ativo, é o ideal. Recolher FGTS pode diminuir os rendimentos mensais, mas são uma poupança forçada para necessidades futuras.
A maior ou menor estabilidade (risco de perder o emprego) e a ajuda educacional (em cursos e reciclagens profissionais) devem tamém ser considerados como benefícios

6. CARGA HORÁRIA Mesmo que a tendência seja a redução cada vez mais das horas trabalhadas, a carga horária semanal não é um benefício considerável, ainda mais as demais vantagens não forem supridas. Em outras palavras, não devemos ir atrás de trabalhar pouco, em detrimento de outras vantagens

7. VOLUME DE TRABALHO Semelhantemente à carga horária, o volume de trabalho só deve ser considerado se excessivo ou estressante. Mas, não tenha medo de trabalhar muito. Geralmente, a melhor remuneração está associada a uma maior responsabilidade

8. NATUREZA DO CARGO Cada pessoa possui um perfil e aspirações individuais. Trabalhar ou estudar por muito tempo, em alguma coisa para a qual não se tenha a menor vocação, pode ser martirizante. Portanto, nem só salário e vantagens são importantes no cargo pretendido

9. OBJETIVO DA EMPRESA Como faremos parte do mesmo barco, quando ingressarmos na carreira, é interessante pesquisar a solidez da organização e o futuro do próprio produto que ela produz, para evitar tomar a canoa errada

10. EXIGÊNCIAS DE CURRÍCULO As exigências de cursos e treinamento que as empresas fazem nem sempre excluem um candidato que não se enquadre 100% nas especificações.
Dependendo do rigor da seleção, das intenções da empresa e até do nível dos outros candidatos, esses critérios podem ser mais ou menos flexíveis.
Ou seja, não ter determinado curso não significa que o candidato está fora da concorrência. Algumas contratações demoram tanto tempo para serem efetuadas que o candidato tem condições de fazer o curso mesmo após ter prestado o concurso.

ANÁLISE DO EDITAL

Uma etapa muitas vezes menosprezada pelo concorrente é a análise do edital de Seleção. Ele não só define a taxa de inscrição e datas dos testes, como estabelece todas as regras do jogo. Portanto, é interessante ler com muita atenção o edital, para saber:

1. PONDERAÇÃO Qual o peso de cada matéria. A ponderação das notas das provas define quais as matérias que se deve estudar mais.
Podemos até escolher o cargo, ou curso, para o qual concorrer pelo que mais valoriza as matérias onde se é mais forte. Na ponderação, também ficamos sabendo qual a prova que teremos de fazer com maior atenção.
Em algumas seleções, são pontuado o currículo (cursos), experiência na área (tempo de serviço), feitos testes práticos e de resistência física

2. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A fórmula pela qual será computada as notas, complementa a noção que se precisa ter sobre o que é mais importante para os avaliadores.
A fórmula geralmente valoriza determinadas matérias, comparando o número de questões acertadas com aquelas incorretas. Sempre, quanto mais se acerta e menos se erra, melhor. O programa do que é exigido em cada matéria deve ser considerado à risca

3. CRITÉRIOS DE DESEMPATE No edital, também ficamos conhecendo quais serão os pontos fortes quando atingirmos uma nota igual a de outros candidatos.
Normalmente, os critérios de desempate valorizam as pessoas de maior idade e que obtiveram maior nota nas provas de conhecimentos específicos. Assim, os candidatos de idade avançada podem até levar vantagem.
Os deficientes físicos já saem ganhando nesse item, pois são sempre reservadas vagas exclusivamente para eles

4. CRITÉRIOS DE DESCLASSIFICAÇÃO Atenção para os procedimentos que podem desclassificar sumariamente o candidato, como utilizar calculadoras, portar livros na hora da prova e, principalmente, atingir o ponto de corte.



PREPARAÇÃO

A Preparação para o concurso é muitas vezes completamente desconsiderada:

1. MATERIAL DIDÁTICO Deve-se reunir os apostilas e livros necessários para cumprir todo o programa exigido.
A falta de investimento nesta fase é fatal. Se você compra exatamente a mesma apostila que a maioria dos concorrentes comprou, não estará aumentando em nada suas chances de passar na frentes deles. Estudar sem o material didático necessário para passar é insuficiente. Dê preferência a livros e boas apostilas especializadas no assunto.
Se possível, conseguir cadernos de exercícios é muito útil. Preferencialmente, contendo provas dos concursos anteriores. Mesmo que os teste mudem de ano para ano, ao menos tem-se uma idéia do formato adotado nas perguntas

2. CURSOS Um bom curso preparatório é importante, principalmente para as matérias de conhecimentos específicos ou técnicas, que não sejam dominadas suficientemente.
O curso é mais um recurso para se superar os demais candidatos, servindo também para disciplinar o estudo. Mas, atenção: fazer um curso apenas não garantirá sua vaga - é indispensável estudar

3. ESTUDO Por mais que se conheça um assunto, deve-se sempre relembrar o que se sabe. Fazer um concurso sem estudar, é um total desperdício.
Deve-se procurar tempo (até no horário do almoço), para se preparar o melhor possível. Serão alguns meses de sacrifício, mas as recompensas poderão ser para o restante da vida... E, tempo é uma questão de prioridade (interesse) - acabar um namoro por falta de tempo é apenas uma desculpa, quando não gostamos realmente da pessoa. Quem ama, sempre arrumará tempo para a pessoa amada.
Mesmo antes da publicação do edital, pode-se comparar o que estão exigindo os concursos similares, e ir se atualizando naquela matéria. Saber a instituição que elaborará os testes é indispensável. Cada uma possui um "estilo" e grau de exigência próprios, que podem nortear os esforços de estudo.
Mas, é essencial "saber estudar". Um estudo proveitoso é aquele feito:
· Em um horário específico
· Com ambiente propício
· Com todas as necessidades básicas supridas (sono, alimentação, descanso e preocupações)
· Seguindo o roteiro de: "Entendimento", "Resumo", "Exercícios" e "Fixação" (não adianta entender todo o assunto, sem fazer uma síntese do que se aprendeu, praticando e decorando o que precisa ser decorado).
Sem seguir todos esses passos, o candidato corre o risco de, na hora da prova, se saber a matéria, mas não se lembrar da regra; ou recordar a regra, mas não saber aplicá-la. Fazer o maior número possível de exercícios, preferencialmente resolvendo questões de concursos anteriores é muito importante*Faça os testes cronometrando o tempo, para aprimorar sua rapidez de resolução

DIA DA PROVA

1. LOCAL Visite com antecedência o local aonde os teste serão realizados. Muitas pessoas se perdem ou vão para locais errados, atrasando-se ou até não conseguindo realizar a prova. Trace minuciosamente o roteiro que vai seguir de casa até o local de testes, para evitar atropelos

2. HORÁRIO Outra questão onde seu nervosismo pode lhe trair é quanto ao horário da prova. Sempre saia com antecedência de casa, para estar cedo no local dos testes.
Os horários de máximo de chegada e de fechamento dos portões devem ser observados. Assim como, a hora de encerramento. Todos constantes no edital.
Como a tendência é exigir muito em pouco espaço de tempo, não se desligue do tempo, mas faça as provas com atenção

3. ALIMENTAÇÃO Evite comer demais, ou mal, antes da prova, para não sofrer congestões ou disenterias. Também não faça a prova com fome. Algumas pessoas se precavém levando lanches e água mineral, para evitar imprevistos na hora do teste

4. MATERIAL Confira o que é necessário levar para a prova, antes de sair de casa. Tanto os documentos e canetas, exigidos no edital, como os objetos de sua necessidade, como guarda-chuva e relógio (para cronometrar o tempo da prova) - de preferência o mesmo que utilizou para os exercícios*Caso o edital não permita telefones celulares, bips, etc, é importante atentar para não ser desclassificado.

NA HORA DA PROVA

1. TEMPO Controle o tempo de resolução da prova, de acordo com o tempo total disponível e o grau de dificuldade encontrado nas questões: Resolva primeiramente (dedicando mais tempo) a prova com mais peso para a pontuação final. Em cada prova, deixe as questões mais difíceis para o final.
Não se esqueça de considerar o tempo para, ao final, fazer a revisão geral das respostas, preenchimento da folha de respostas e revisão desse preenchimento

2. REVISÃO Alguns pontos podem ser "salvos" na última hora, justamente na revisão, ao final da resolução de todas as questões. Confrontando o que foi solicitado com o sua resposta, para evitar o erro muito comum) de marcar a questão correta, quando o que se pedia era a incorreta

3. FOLHA DE RESPOSTAS Também é frustrante preencher incorretamente a folha de respostas ou deixar de passar para ela uma questão que se sabia a resposta correta
A idéia é conseguir uma boa colocação. O período de validade do concurso e a prorrogação desse prazo, o remanejamento de candidatos, o aparecimento de novas vagas, desistências ou desclassificação de concorrentes, com o tempo, serão os fatores de "sorte" que se encarregarão de reclassificar o candidato.


Boa Prova

COMO CALCULAR O QUADRADO DE NÚMEROS TERMINADOS COM 5?

Truque número 1: Simples. Veja o exemplo com o número 35 :35 x 35 = ?

Pegue o primeiro número (3), adicione 1 (3+1=4) e os multiplique (3×4). Junte o resultado (12) com o número 25 e pronto : 1225. Funciona sempre.

Truque número 2 : multiplicações com 10 são fáceis, certo ? Afinal, basta acrescentar um zero do lado direito do número (3×10= 30). E o número 11 ? Quanto é 26 x 11 ? Aqui vai o truque infalível.

Pegue o número inicial (26) e imagine um espaço entre os dois dígitos (2_6). Adicione esses dígitos e ponha-os nesse espaço (2_(2+6)_6). Resultado : 286

Truque número 3 : Como multiplicar números elevados por 5 ? Apesar de não ser tão rápido quanto às demais dicas, isso resolve :

Quanto é 2348 x 5 ? Pegue o número inicial (234 e divida-o por 2. Se o resultado for exato (resto zero), adicione um 0 e pronto. No caso, 2348/2 = 1174. Portanto, 2348×5 = 11740.

Se a divisão não for exata, em vez de adicionar um zero no final, coloque o número 5. Exemplo : 1437×5 -> 1437/2=718.5 -> 7185

Truque número 4 : Lembre-se que quando uma operação é complicada, sempre há uma maneira de separá-la em partes mais simples. Assim, se a tabuada do número 4 for um pesadelo, lembre-se que 4 é o mesmo que 2×2. Portanto, efetue duas multiplicações com o número 2 e obtenha o mesmo resultado. Trivial ? Veja esse conceito aplicado no exemplo a seguir :

32 x 125 tem mesmo resultado que16 x 250 tem mesmo resultado que8 x 500 tem mesmo resultado que4 x 1000 = 4,000

Truque número 5 : Sabe a tabuada do nove ? Tem problemas com ela ? Use suas mãos e obtenha o resultado. Por exemplo, para saber quanto resulta 4×9, abra as duas mãos com os dedos esticados. Dobre o dedo que equivale ao primeiro dígito e veja quantos dedos sobraram antes dele (3). Conte agora o número de dedos após ele (6). Resultado : 36

Truque número 6 : Porcentagens %. Isso era "O" pesadelo para muitos na escola. Após essa dica, você será o senhor das porcentagens, sendo capaz de calcular 4% de 200 em menos de 1 segundo.

Primeiro, uma explicação. A palavra "porcentagem" já sugere "para cada cem". Assim, 3% nada mais é que 3 "para cada cem", 12% é 12 "para cada cem", e assim por diante.

Como isso ajuda no cálculo de 4% de 200 ? Moleza. Lembre-se que 4% nada mais é que 4 "para cada cem". Como você tem 200, o resultado nada mais é que 4 + 4 = 8. Fosse 4% de 300, bastaria adicionar mais 4.

Mais exemplos :74% de 500 = 74 + 74 + 74 + 74 + 74 = 370

20% de 150 = 20 "para cada cem". Como 50 é metade de 100, o resultado é 20 + 10 = 30.

Como dica final, porcentagens também podem ser calculadas invertendo-se os números. 5% de 12 é o mesmo que 12% de 5.

Recusar emprego para candidato com nome sujo no mercado é ilegal?

Empresas que discriminam pessoas porque elas têm o nome no SPC ou Serasa podem ser denunciadas à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego.

Um assunto que incomoda muitos trabalhadores: empresas que recusam o candidato a um emprego só porque ele tem o nome no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) ou Serasa. Será que essa recusa é legal?

De acordo com o chefe de coordenação de Igualdade e Oportunidade, Fernando Sampaio, não é. Segundo ele, esse tipo de impedimento deve ser denunciado à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRT/PE) – que por enquanto está em greve. “O caso será apurado junto ao trabalhador e à empresa, que será alertada sobre a denúncia. Também mediamos a situação para tentar reverter a prática”, explicou Sampaio.

Além do nome sujo, o coordenador diz que é comum as empresas discriminarem ilegalmente candidatas grávidas, sindicalistas, trabalhadores demitidos por justa causa, portadores de necessidades especiais e pessoas com antecedentes criminais, mesmo aqueles que não estão previstos por lei, como vigilante e doméstica. “Nesses casos, é o bom os trabalhadores ficarem atentos, pois essa atitude já mostra que a empresa provavelmente praticará outras irregularidades como assédio moral e excesso de jornada”, falou Sampaio.

FONTE: PE360GRAUS